Capital humano é estratégico para a Petrobras

Os altos investimentos em desenvolvimento e treinamento, a entrada de novos empregados e a preocupação com a sustentabilidade marcaram a atuação da área de Recursos Humanos em 2008. O reconhecimento externo desse esforço transparece nas premiações recebidas.

Pelo quarto ano consecutivo, a Petrobras foi eleita a “Empresa dos Sonhos dos Jovens” em pesquisa espontânea realizada pela Companhia de Talentos. Segundo a pesquisa, os desejos e expectativas dos jovens são formados por fatores como bons salários e benefícios, infraestrutura de trabalho, crescimento profissional, boa imagem no mercado, investimento em cursos e treinamento. A Petrobras também recebeu o prêmio Top of Mind de RH 2008, na categoria Programa de Retenção de Talentos. A premiação reconhece as empresas pela lembrança da sociedade em determinado segmento. Pelo terceiro ano consecutivo, a Petrobras foi benchmark no critério “Desenvolvimento do Capital Humano”, do Índice Dow Jones Sustentability Indexes (DJSI).

EVOLUÇÃO DO EFETIVO

Para acompanhar o crescimento da companhia e atender às metas do Plano de Negócios 2009-2013, a Petrobras realizou três processos seletivos em 2008, registrando em um deles o recorde de inscrições: 451.712 candidatos concorreram a 2.611 vagas no país inteiro. A companhia encerrou o ano com efetivo de 55.199 empregados, tendo sido admitidos 5.565 profissionais em 2008. Considerando-se toda a Petrobras, incluindo as empresas controladas e coligadas e as unidades no exterior, o efetivo somou 74.240 empregados.

ASSISTÊNCIA MULTIDISCIPLINAR DE SAÚDE

Em 21 mil pontos de atendimento da Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS), foram atendidos 121 mil beneficiários, entre empregados, dependentes, aposentados e pensionistas, totalizando um custo para a companhia de R$ 599 milhões em consultas, exames e internações em 2008.

BENEFÍCIOS EDUCACIONAIS

Em 2008, a Petrobras reajustou a tabela de benefícios educacionais e fez revisões nos percentuais de reembolso aplicados na tabela do Auxílio Ensino, que inclui Assistência Pré-Escolar, Ensino Fundamental e Ensino Médio. A companhia investiu R$ 130,6 milhões nesses benefícios, atendendo 29.880 filhos de 21.627 empregados.

ACORDO COLETIVO

Após negociações com os sindicatos, a Petrobras firmou o Acordo Coletivo de Trabalho 2008 referente às cláusulas econômicas. As tabelas salariais foram corrigidas em 6,17% (IPCA), e a Remuneração Mínima por Nível e Regime, em 9,89%. Também foi paga gratificação no valor de uma remuneração. Foram mantidas as cláusulas sociais do Acordo Coletivo de Trabalho 2007, cuja validade é de dois anos.

POLÍTICA SALARIAL

Além da remuneração fixa de seus empregados, composta por gastos com salários, vantagens, adicionais e encargos, a Petrobras considera também como custo de pessoal as despesas referentes aos benefícios de previdência complementar, Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS) e Auxílio Educacional.

O custo de pessoal em 2008 totalizou R$ 9,9 bilhões, 14% acima do ano anterior. Além do reajuste salarial e da expansão de 10% do efetivo, também contribuiu para o aumento do custo de pessoal o crescimento vegetativo da folha de pagamento, decorrente de anuênios e progressão dos empregados na carreira. Considerando toda a Petrobras, com as empresas controladas e coligadas e as unidades no exterior, esse valor atingiu R$ 12,9 bilhões.

A Participação nos Lucros e Resultados relativa ao exercício de 2007 foi distribuída a todos os empregados da Petrobras no País em duas parcelas, pagas em janeiro e agosto de 2008, totalizando R$ 1 bilhão.

AMBIÊNCIA ORGANIZACIONAL

A Petrobras realiza anualmente uma pesquisa de Ambiência Organizacional, que possibilita aos empregados expressarem suas opiniões e expectativas em relação à companhia, indicando melhorias que possam ser implementadas nas condições de trabalho e na relação empregado-empresa. Em 2008, a pesquisa indicou uma queda de três pontos percentuais no ISE (Índice de Satisfação do Empregado) da Petrobras Controladora, que caiu 69% para 66% de favorabilidade. No caso do NCE (Nível de Comprometimento com a Empresa) foi registrada uma retração de quatro pontos percentuais de favorabilidade, passando de 77% para 73%. A pesquisa foi aplicada em dezembro de 2008 e janeiro de 2009, num cenário de incerteza econômica mundial e, na Petrobras, no contexto de intensificação das medidas de disciplina de capital.

DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS

Mais uma vez, o Desenvolvimento de Recursos Humanos balizou as ações de RH, levando a um investimento de R$ 219,1 milhões, o que resultou em 190.923 participações do efetivo em cursos. O Homem-Hora Treinado (HHT) médio anual por empregado em 2008 foi de 103 horas, superior ao de empresas dos Estados Unidos e Ásia, com 30 horas, da Europa, com 36, e do próprio Brasil, com 37,5, segundo estudos da American Society for Trainning and Development e da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento.

Grande parte dessas ações de desenvolvimento é realizada na Universidade Petrobras (UP). Em 2008, foi inaugurado o novo prédio da UP no Rio de Janeiro, construído com base nos mais atuais conceitos de sustentabilidade. Esse prédio possui 107 salas de aula, incluindo nove laboratórios especiais e 25 de informática, e ainda 35 cabines de educação à distância e 27 salas de orientação pedagógica.

Comprovando a excelência da Universidade Petrobras, o Conselho Nacional de Educação aprovou o credenciamento especial do Sistema Educacional Corporativo da Petrobras para a oferta de cursos de especialização, em nível de pós-graduação lato sensu, em Engenharia de Petróleo e Gás Natural, Geofísica do Petróleo e Gás Natural, e Processamento de Petróleo e Gás Natural. Com o credenciamento, a UP passa a ser reconhecida oficialmente pelo Ministério da Educação, e os diplomas emitidos para os três cursos passam a ter a mesma validade dos de qualquer universidade brasileira reconhecida pelo Governo Federal.

Entre as iniciativas externas, o RH, em parceria com a Fundação Dom Cabral, desenvolveu e apresentou na Assembléia Geral da Globally Responsible Leadership Initiative Foundation uma metodologia para a formação de líderes globalmente responsáveis, com base nos princípios do Pacto Global da ONU.